Festival Internacional de Documentário de Melgaço

mdoc filmes do homem

continuar a olhar o Mundo

Depois do interregno de 2020 forçado pela Covid-19, o MDOC está de regresso. De 2 a 8 de agosto, Melgaço voltará a ser o centro de iniciativascom foco no documentário. 31 filmes que abordam temas relacionados com questões sociais, individuais, culturais ou de identidade, candidatam-se ao Prémio Jean-Loup Passek e ao Prémio D. Quixote, atribuído pela FICC, Federação Internacional de Cineclubes. O Júri Oficial é constituído pelas realizadoras Julia Kushnarenko e Susana de Sousa Dias, pelo realizador Alessandro Negrini, pelo Professor e realizador Alfonso Palazón Meseguer e pela professora e programadora Jane Pinheiro. O Júri FICC tem como jurados António Francisco Pita, do Centro de Estudos Cinematográficos, Dagmar Kamlah, cineasta e curadora alemã e Dragan Miolinkovic, professor, produtor, dramaturgo e realizador sérvio.

Este ano foi criado, em colaboração com o Museu de Cinema Jean-Loup Passek, o Prémio para o Melhor Cartaz de Cinema com produção portuguesa ou galega. O prémio será atribuído ao designer do cartaz vencedor por um Júri formado por Paula Tavares, Jorge Silva e Marcos Covelo.

Outras iniciativas paralelas continuam a afirmar a identidade do MDOC:

O Fora de Campo, Curso de Verão coordenado por José da Silva Ribeiro e Manoela dos Anjos Afonso, abordará as narrativas na primeira pessoa e conta com a colaboração da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas (Brasil), da Universidade Federal de Goiás, da Universidad Rey Juan Carlos, da Universidade Federal do Pará, da Universidade Federal de Pernambuco, da Fundação Jean Rouch, do Festival Internacional do Filme Etnográfico do Pará, do Festival Internacional do Filme Etnográfico do Recife e do Festival International du Film Documentaire Après Varan;

O Plano Frontal, a residência cinematográfica e fotográfica orientada pelo realizador Pedro Sena Nunes, contribuirá, através da rodagem de documentários e da produção de projetos fotográficos para o aparecimento de novas equipas técnicas e artísticas, o enriquecimento do património imaterial de Melgaço e mostrará os filmes e os projetos fotográficos realizados na anterior edição;

O Kino Meeting, um encontro internacional de serviços educativos de cinema coordenado por Patrícia Nogueira, vai debater a literacia cinematográfica destinada a crianças e adultos com deficiências físicas ou mentais, públicos marginalizados ou em risco;

O projeto Quem Somos os Que Aqui Estamos? coordenado por Álvaro Domingues, interrogará o espaço geográfico e a sociedade local, este ano dedicado à União de Freguesias de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro.

Nesta sétima edição, o MDOC vai associar-se à comemoração do Dia do Brandeiro, festa que celebra a transumância e é uma homenagem aos construtores da comunidade agropastoril da Branda da Aveleira.

Um debate sobre arquitectura popular com a participação dos arquitectos António Menéres e Fernando Cerqueira Barros, do geógrafo Álvaro Domingues e de José Rodrigues Lima, o grande impulsionador desta celebração, uma visita à Branda da Aveleira e a inauguração de duas exposições do fotógrafo Luís Miguel Portela, farão parte do programa.

Além destas iniciativas, o MDOC realizará oficinas orientadas por Pedro Costa, em colaboração com La Plantación, por Abi Feijó e Tânia Dinis.

O Museu de Cinema de Melgaço inaugura a exposição O Passador de Imagens do Centro Pompidou, comissariada por Bernard Despomadères e Manuela Lima, a Casa da Cultura, Estar e Voltar, de João Gigante, e o Centro Cívico de Castro Laboreiro, Quem Somos Os Que Aqui Estamos pelo planalto, comissariada por Daniel Maciel. Na freguesia da Gave e na Branda da Aveleira, José Luís Portela revisita a vida impermanente das brandas, na Praça da República e na Casa da Cultura, Patrícia Barbosa e Susana Porteiro mostram os projetos fotográficos do Plano Frontal 2019.

Nos dias 7 e 8 de agosto, o Salto a Melgaço propõe um fim-de-semana intenso com projeção de filmes, visita às exposições, ao Museu de Cinema Jean-Loup Passek e ao Espaço Memória e Fronteira.

Direção da AO NORTE