Scroll To Top
mdoc festival

III Kino Meeting

Encontro sobre literacia para o cinema

Desde a fundação do Festival Internacional de Documentário de Melgaço, em 2014, que a formação de públicos se apresentou como uma prioridade, investindo na relação entre a comunidade e a sala de cinema. A estratégia não passa apenas pela projeção dos filmes e debates com os realizadores que compõem a programação de cada edição do festival, mas estendem-se também a oficinas de formação para jovens e adultos, procurando complementar e diversificar os conhecimentos e a experiência cinematográfica dos participantes e contribuindo para a promoção do interesse e sensibilidade pelo cinema documental.

O KINO MEETING - Encontro Internacional de Literacia de Cinema inscreve-se nesta estratégia de alargar a formação e de pensar estratégias de promoção de literacia para as imagens em movimento. Pelo terceiro ano consecutivo, o MDOC - Festival Internacional de Documentário de Melgaço reúne em Portugal instituições e especialistas na educação para o Cinema, com o intuito de fomentar o debate, a troca de ideias e de refletir sobre a importância da literacia visual das imagens em movimento.

A terceira edição do KINO MEETING: dedica-se este ano a refletir sobre os arquivos enquanto elementos de construção da história e da memória, enquanto material bruto de construção de narrativas em contexto educativo. Os arquivos aqui são entendidos de forma abrangente e apresentam-se em diferentes materiais. Não nos referimos apenas aos filmes ou material filmado, mas a todos os materiais que podem constituir a história de cada filme: guiões, fotografias de cena, material de promoção, como posters e cartazes, guarda-roupa, adereços etc. O Cinema apresenta-se assim com uma função de armazenamento da memória em movimento, da própria memória que o tempo vai modificando a partir de um olhar sobre o passado, seja através da conservação de momentos ou da reminiscência de sensações. São estes materiais que materializam o imaginário e a memória coletiva, que constroem e reconstroem uma história transformada.

À semelhança das edições anteriores, a participação é gratuita, mas sujeita a inscrição prévia.

Programa

01 Agosto . Quinta-Feira

Hora Atividade Local
10h00 Apresentações e notas introdutórias Solar do Alvarinho
Arquivo – desafios de preservação e divulgação
10h15 Tiago Baptista - ANIM (Portugal) Solar do Alvarinho
10h45 Yolanda Ribas Velazquez - Filmoteca de Catalunya (Espanha) Solar do Alvarinho
11h15 Intervalo -
A construção da Animação a partir de arquivos
11h30 Jean-Baptiste Garnero - Centre National du Cinèma et de L’image Animée (França) Solar do Alvarinho
12h10 Abi Feijó - Casa Museu de Vilar (Portugal) Solar do Alvarinho
12h30 Almoço -
Educar com (e para) arquivos
14h30 Jurek Sehrt - Deutsche Kinemathek . Berlin (Alemanha) Solar do Alvarinho
15h00 Neva Cerantola - Cinemateca Portuguesa (Portugal) Solar do Alvarinho
15h30 Graça Lobo e Isa Mateus - Cineclube de Faro (Portugal) Solar do Alvarinho
16h00 Bernard Despomadères e Eduardo Brito - Museu do Cinema de Melgaço (Portugal) Solar do Alvarinho
16h30 Tânia Dinis Apresentação dos resultados do workshop promovido durante a semana com crianças de Melgaço Solar do Alvarinho

02 Agosto . Sexta-Feira

Hora Atividade Local
10h30
14h30
Workshop Imagens que contam Histórias . Tânia Dinis

QUANTAS HISTÓRIAS PODE TER UMA IMAGEM? A partir de arquivos, pessoais ou institucionais, vamos explorar vários materiais e técnicas para a apropriação deste material, que através da montagem, implementando colagens, uso da palavra, e objetos, podemos contar uma história e a uma imagem.

Solar do Alvarinho